Briefings, prazos apertados, reuniões, clientes “exigentes”, paciência, café, noites em claro… se você tem agência ou trabalha em uma, reconhece alguns desses termos em sua rotina diária e só de lê-los já deve ter sentido o coração bater mais rápido. O dia a dia de uma agência de webdesign pode ser estressante, e a cultura que se criou em torno disso torna mais difícil mudar as coisas.

Somando isso à dificuldade em adquirir e manter novos clientes, o peso da profissão é duplicado e a rotina se torna uma mistura de trabalho, preocupações com o futuro e pouco sono. Entretanto, existe luz no fim do túnel, e é o que vamos explorar no artigo de hoje :)

O maior problema das agências hoje

Dentre muitos possíveis, o problema que mais impacta as agências é o modo como encaram seus projetos. Na maioria dos casos, um novo projeto é um site negociado como um pacote fechado, uma transação única, em que quase tudo é feito sob medida e especificamente para cada cliente.

Em resumo, os contratos quase sempre prevêem um pagamento único pela entrega do produto final e não usam qualquer tipo de reuso inteligente de recursos. Falta recorrência e automação nesse modelo de negócio.

Por conta disso, justamente, sua agência tem dificuldades enormes de crescer. O crescimento – através do fechamento de mais projetos – significa necessariamente mais horas trabalhadas, potencialmente mais contratações e mais custos fixos. Quanto mais clientes você tem, maior o custo operacional da agência, e isso pode chegar a um ponto insustentável muito rápido.

Por fim, você eventualmente consegue crescer, mas ao custo de mais horas investidas e de lucros que não aumentam na mesma proporção – afinal de contas, novas contratações e outros investimentos tornam-se custos fixos, e você precisa mantê-los de alguma forma, quase sempre correndo atrás de novos projetos… e o ciclo continua!

No modelo tradicional, seguido pela maioria das agências, os contratos geram pagamentos únicos e a aquisição de novos projetos é a única fonte de receita

Vamos supor, para fins de simulação, que você cobre R$2.000,00 por um site em WordPress. Com 8 projetos, sua receita bruta seria de R$16.000,00 uma única vez.

Primeira mudança: mude seu modo de trabalhar

O modo como você lida com projetos em WordPress tem um impacto direto no número de horas trabalhadas, stress gerado e tempo de entrega. Há modos de melhorar substancialmente isso e, como consequência, diminuir o desgaste do processo.

Como criar ou refazer sites do jeito certo

O passo mais fundamental é começar bem. Para isso, ao invés de sempre começar do zero, tenha um template (não me refiro ao tema, mas ao conjunto WP+Temas+Plugins que são comumente usados), de modo que você possa começar um projeto a partir de uma base pré-determinada. Isso vai acelerar muito o processo.

Com isso em mãos, entenda como criar ou refazer sites em WordPress do jeito certo. Nós já escrevemos sobre isso, em detalhes. O resumo é: não perca tempo com desenvolvimento em localhost ou com instalações de WordPress. Vá direto ao que interessa, com um template inicial e desenvolvimento direto no ambiente de hospedagem (para não passar horas resolvendo problemas de compatibilidade entre seu ambiente local e o servidor, depois).

Se o site for passar por reforma, esqueça também clones, localhost e modo de desenvolvimento. Use uma staging area, como explicamos no artigo. Isso economiza muito tempo e torna o processo simples.

Por fim, e não menos importante (de fato, muito, muito importante), escolha o parceiro certo para hospedagem. Isso pode significar a diferença entre passar dias resolvendo problemas de servidor ou ter tempo para entregar o projeto no prazo. Neste artigo, explicamos como uma hospedagem WordPress gerenciada pode ajudar sua agência a ser 10x mais produtiva (ou mais). Não tem exagero nenhum aqui. Leia e conheça uma nova realidade nesse sentido.

Ah, se você frequentemente sucumbe à tentação de investir o mínimo possível em hospedagem, saiba que isso vai gerar os problemas mais estressantes da sua carreira (se já não gerou antes) devido a falhas, perda de dados, sites fora do ar, etc. Não vale a ‘economia’. Escolha uma hospedagem WordPress que vai ser realmente parceira da sua agência, não inimiga mortal.

Segunda mudança: adicione canais de receita recorrente à sua agência

Se você cumpriu bem com o passo anterior, então sua agência está pronta para a mudança mais impactante. Basicamente, a ideia é mudarmos o modelo tradicional de ‘contrato-pagamento único’ e adicionarmos canais de receita recorrente – ou seja, serviços que geram pagamentos mês a mês (ou outros ciclos) e que dão maior estabilidade financeira ao seu negócio, que passa a depender cada vez menos da correria pela aquisição de novos projetos.

A seguir, vamos tratar de algumas sugestões de serviços recorrentes que você pode oferecer a seus clientes

Planos de atualização: o café-com-leite da recorrência

Há chances de que você já ofereça planos de atualização para alguns de seus clientes. Se ainda não o faz, essa é uma forma simples de adicionar receita recorrente a todos os projetos.

A realidade é que nem todo cliente tem familiaridade com o WordPress ou mesmo gosta de fazer por si mesmo a atualização ou inclusão de conteúdo. Isso gera uma oportunidade de oferecer tal serviço por uma tarifa mensal fixa, que prevê um certo número de modificações. Esse tipo de serviço é fácil de ser oferecido e simples de ser compreendido pelo cliente.

O maior segredo, aqui, é garantir que as condições do serviço estejam muito bem definidas, por escrito, para evitar confusões e stress. Por exemplo, você pode definir que, por R$100 por mês, o cliente terá direito à inclusão de 2 posts de blog, cujo conteúdo ele mesmo deve fornecer, e 10 fotos na galeria. Ou, se preferir, defina que o plano de manutenção dá direto a 1 hora técnica por mês para fazer qualquer tipo de modificação que o site precise. As possibilidades são muitas – o importante é que isso seja combinado de antemão.

Usando o exemplo de 8 projetos, sua receita recorrente com planos de atualização seria de R$800/mês. Você pode cobrar mais, é claro, a depender do tipo de serviço que oferecer.

Ofereça a hospedagem do site

Essa é uma venda simples e também muito fácil de entender para o cliente. Ele tem um novo site… agora precisa de de hospedagem. Como 100% dos projetos precisam desse tipo de serviço, oferecê-lo ao cliente como um serviço recorrente é conveniente para ambas as partes.

Para você, porque permite hospedar o site em um ambiente conhecido e controlado, além de gerar a receita mensal; para o cliente, porque tudo fica nas mãos da mesma empresa, evitando ter de lidar com contratações extras e migrações, e o suporte é centralizado. Lembre-se de que raramente o cliente é versado em tecnologia, por isso ele vai preferir manter tudo nas mãos do profissional.

Dito isso, o próximo passo é escolher a infraestrutura que você vai usar para seus clientes. Isso é crucial para o bom sucesso e para sua tranquilidade.

Muitas agências acabam contratando planos de revenda de hospedagem comuns. O maior problema desse tipo de serviço é que o suporte oferecido não é voltado para os sites ou o funcionamento geral do servidor, mas apenas para garantir que a máquina esteja na tomada e conectada à rede de dados. Ou seja, você vai ter que lidar com todo tipo de problema, desde a configuração dos servidores e contas até erros de PHP, bancos de dados, e todo tipo de bizarrice que acontece no WordPress de tempos em tempos. Quem tem, sabe!

Em outras palavras, se você for pelo caminho convencional, vai ter que se tornar uma empresa de hospedagem, com todas as consequências que isso tem. Em pouco tempo, seus dias serão ocupados por solicitações de suporte de seus clientes sobre como o site está lento, parou de funcionar neste ou naquela função, vive saindo do ar, etc. O que era para ser uma fonte extra de receita para sua agência se torna uma tremenda dor de cabeça, o que não faz sentido nenhum.

O único modo de explorar esse canal fácil de receita sem que isso gere mais stress é escolher uma hospedagem WordPress gerenciada para hospedar as contas de seus clientes, conforme explicamos no artigo mencionado mais acima. É o único modo realista de não virar um escravo das necessidades técnicas constantes das contas dos seus clientes.

Oferecer hospedagem “tudo inclusa” para seus clientes pode ser bem lucrativo. Por exemplo, suponha que você tenha 8 sites de clientes para hospedar e escolha nosso plano ‘Enterprise I’. O custo de cada site é de cerca de R$37/mês para você, incluindo todos os recursos e gerenciamento, backups, plugins, etc. Ou seja, R$37 por site para ter uma tranquilidade inabalável e zero preocupações. Você pode revender a hospedagem dessa qualidade facilmente por R$120/mês e ficar com os R$83 de diferença. Com os 8 clientes apenas (estimativa conservadora, apenas para demonstração) você tem R$664/mês de lucro, sem ter trabalho extra com hospedagem, migrações, servidores, etc.

Somada à receita recorrente dos planos de atualização, já são R$1.464/mês extras, com pouco esforço.

Isso é perfeitamente escalável para dezenas e centenas de clientes, sem dificuldades para sua agência. É receita recorrente todo mês.

Para além do básico, escolher a hospedagem certa traz vantagens menos óbvias, e inclusive permite que você crie um outro canal de receita recorrente sem ter absolutamente nenhum trabalho extra. É o que vamos ver a seguir.

Ofereça planos de manutenção

Uma outra forma menos óbvia e muito interessante de receita recorrente é oferecer planos de manutenção do WordPress. Normalmente, é tarefa do cliente manter o WordPress, temas e plugins atualizados depois que você entregou o projeto, bem como se preocupar com segurança e backups.

Isso pode facilmente fazer parte do pacote de hospedagem que você oferece, ou pode ser cobrado à parte. As ideias para sua oferta de manutenção incluem:

  • Atualizações do WordPress, temas e plugins. Com isso, o cliente não precisa se preocupar em manter a instalação em dia e evita problemas sérios de segurança e estabilidade
  • Backups diários. Ofereça cópias de segurança automáticas para que o cliente não tenha que se preocupar com perda de dados, apagamento acidental ou invasão do site.
  • Segurança. No pacote de manutenção, ofereça auditorias frequentes de segurança e implementação de boas-práticas, como certificado SSL, proteção contra login forçado, etc.
  • Desempenho garantido. Você otimiza o site e o mantém sempre rápido e funcional.
  • Suporte voltado para WordPress. Tira-dúvidas, dicas, sugestões, ajuda geral com o uso da plataforma.

Você pode cobrar facilmente entre R$50 e R$80/mês extras, a depender de como estrutura os pacotes. O melhor: se você estiver usando uma hospedagem WordPress gerenciada como a BlogLite para abrigar os sites dos clientes, todos os serviços acima já estão inclusos e você não precisa ter trabalho extra nenhum. A BlogLite não mostra sua marca nos sites ou em qualquer parte do WordPress, então você pode repassar o serviço como o seu próprio.

Com essa receita extra, e continuando nosso exemplo de apenas 8 contas, são R$640/mês a mais. Até agora, já temos um cenário acumulado de R$2.104,00/mês extras de faturamento.

Ofereça planos de SEO e tráfego pago

Essa já é uma fonte de receita extra para muitas agências e também uma venda simples de se fazer.

Seu cliente já tem um site; agora, precisa de tráfego e visibilidade para aproveitar isso tudo. Ofereça serviços de SEO com otimizações constantes, bem como aquisição de tráfego pago em plataformas como Google Ads ou Facebook Ads.

Se você não tem experiência nenhuma com essas áreas, pode terceirizar o serviço, usando agências parceiras especializadas, ou investir o tempo necessário para aprender mais sobre cada uma das especialidades.

Esse tipo de serviço não tem preço fixo, já que depende muito do que você pode oferecer. Digamos, por exemplo, que você ofereça um pacote básico de manutenção SEO somado a anúncios no Google Ads com baixo volume e cobre por isso R$500/mês (um valor baixo para esse tipo de serviço, mas, de novo, estamos sendo conservadores nos exemplos). Com isso, sua receita para os 8 clientes pode saltar para R$4.000,00 extras. No acumulado, já são R$6.104,00/mês extras. Receita recorrente, todo mês.

O novo modelo para agências

Com esse novo modelo, sua agência não conta apenas com a receita fixa recebida uma vez por cada projeto, mas também com rendimentos recorrentes advindos de serviços agregados.

Seguindo nosso exemplo, os seus 8 clientes gerariam R$16.000,00 de receita fixa pela entrega dos sites, mais R$6.104,00 todo mês por serviços adicionais.

Em um ano, essa receita recorrente chega a R$73.248,00 e ultrapassa em muito o valor inicial que você receberia se apenas vendesse sites. O total de rendimentos em 1 ano para os 8 sites seria, então de R$89.248,00 no lugar de apenas R$16.000,00. Ou seja, ao adicionar serviços recorrentes, sua receita por cliente aumenta em mais de 5 vezes.

No modelo novo, além dos valores fixos por sites entregues, sua agência também recebe dividendos por serviços de pagamento recorrente. A diferença no final do ano é gigantesca.

Vendo por esse ângulo, você simplesmente não pode ignorar o poder da receita recorrente em sua agência. É a diferença entre trabalhar até a exaustão e a tranqüilidade por saber que as finanças

Resumo do novo modelo e próximos passos

Agora que o modelo foi explicado, vamos retomar seus pontos-chave:

  • Para além de serviços de custo fixo, como sites entregues, liste ideias de serviços mês a mês que você possa cobrar como adicionais.
  • Esses serviços precisam ser simples de implementar, e não adicionar uma carga desproporcional de trabalho pra você.
  • Escolha um parceiro que facilite dramaticamente isso. Quando você hospeda seus clientes na BlogLite, por exemplo, já conta com hospedagem especializada em WordPress com migração gratuita, gerenciamento avançado, suporte super-especializado, backups, segurança, alto desempenho, atualizações automáticas, etc. Em resumo, ter o parceiro certo faz com que você possa terceirizar todo o trabalho e receber os dividendos do seu cliente, aumentando o seu tempo livre e os lucros da agência.
  • Ofereça os serviços conforme a necessidade do cliente – um deles, alguns deles ou todos eles em um pacote especial “tudo incluso”. Cada caso é um caso. Clientes com sites de alto tráfego devem pagar mais por hospedagem, por exemplo, e sites com muito conteúdo precisam de mais horas de trabalho para SEO. As possibilidades são muitas.
  • Com esse modo de trabalhar, você precisa de menos clientes para atingir resultados financeiros maiores. Isso significa muito menos stress, menos horas trabalhadas e mais tempo para entregar projetos incríveis – sem contar maior qualidade de vida, claro, que é o que todo mundo busca :)

E você, já usa alguma dessas estratégias em sua agência? Conte mais nos comentários!