O período de quarentena e isolamento social está afetando diferentes áreas de atuação de diferentes modos. Enquanto muitos não podem trabalhar, outros se vêem sobrecarregados de tarefas porque a demanda aumentou. Seja como for, muitos profissionais que passaram a trabalhar a partir de casa encontraram também tempo para resolver pequenas pendências em suas vidas pessoais e profissionais – desde a arrumação da casa até o início daquele curso de especialização online.

Se este é o seu caso, talvez o momento atual seja uma oportunidade para fazer pequenas melhorias fáceis no seu site em WordPress – sim, aquelas pequenas coisas que você sabe que precisa fazer mas nunca encontra tempo para resolver :)

1. Revisar posts e páginas antigos, desatualizados ou que simplesmente não deveriam existir mais

Se o seu site ou blog tem alguns anos de vida, pode ter certeza que esse tipo de publicação desatualizada existe:

  • Páginas antigas e com informações incorretas (endereço e telefone antigos, pessoas que não estão mais na sua equipe, etc)
  • Páginas que foram criadas por um plugin (por exemplo, área de membros) e não são mais usadas (e ainda assim são públicas)
  • Posts de blog muito antigos e com fonte pequena, erros de escrita, imagens que não carregam
  • Links para sites externos que não existem mais
  • Páginas de produtos ou serviços que não são mais prestados pela empresa
  • Páginas de eventos que deveriam ter ficado no ar apenas por um período de tempo, mas que acabaram ficando disponíveis para sempre
    Você entendeu a ideia… todo site tem uma certa quantidade de “excessos” virtuais que podem ser revisados. Se você tem receio de apagar a página porque quer preservar alguma informação para o futuro, apenas altere seu status de “publicado” para “rascunho”. Isso faz com que o post/página não seja mais público, mas ainda exista dentro do WordPress para referência futura.

2. Consertar o formulário de contato que não funciona

Um clássico. Existe até um estudo que mostra que cerca de 20% de todos os formulários da Internet simplesmente não funcionam. Pense nisso: são milhões de contatos perdidos, todos os dias. Negócios que podiam vender mais e que estão estagnados. Sites que podiam ser mais efetivos, mas que não geram nenhum resultado.

  • Antes de mais nada, teste seu formulário de contato. Ele envia o e-mail corretamente?
  • Escolha um plugin efetivo para a tarefa, como o Contact Form 7, que é gratuito, ou o excepcional Forminator PRO (que é pago, mas incluso sem custo nos planos da BlogLite)
  • Passe a usar um serviço de SMTP para os disparos. A maioria dos formulários permite isso e há serviços com planos gratuitos. A entregabilidade é incomparavelmente melhor que o SMTP interno da sua hospedagem, e fazer isso resolve 90% dos problemas de envio de formulários (é assim que procedemos por aqui!)

3. Fazer melhorias nas imagens de destaque

Uma imagem ruim vale por mil palavras… contra você

Vale sobretudo para blogs mais antigos: sabe aqueles posts do início do blog, quando as imagens de destaque eram mais… rústicas? Qualidade menor, resolução ruim, pouco efetivas… pois é. Você sabe que precisa melhorar isso, sobretudo porque deve ter posts antigos que ainda trazem tráfego de busca ao site.

Comece olhando para o seu Analytics para saber quais são os posts ou páginas mais populares do site. Melhore-os com relação à imagem de destaque, imagens internas do post, qualidade da informação, etc. É um trabalho que vale a pena.

E por falar em Analytics…

4. (Finalmente) implementar o Google Analytics

Se o seu site/blog WordPress ainda não usa o Google Analytics para coletar e analisar estatísticas de visitas, você está deixando uma grande oportunidade na mesa.

O Analytics é simplesmente o mais completo e eficiente serviço de análise de performance da sua presença digital – e ainda tem um plano gratuito que atende até às necessidades dos maiores sites. Com isso implementado, você vai ter uma visão raio-x dos visitantes, quais páginas estão acessando, quanto tempo ficam no site, se vêm de redes sociais (e quais), etc.

Sem essa informação, você simplesmente não será capaz de organizar melhor suas estratégias de divulgação ou melhorias gerais. Implementar o serviço é simples, de fato:

  • cadastre-se gratuitamente no site oficial
  • insira o código em seu site, seja editando o rodapé do tema, seja usando um plugin que o ajude com isso. Aqui na BlogLite, oferecemos o Beehive Pro (antigo Google Analytics+), plugin premium que permite conectar seu site ao Analytics sem editar qualquer código, bem como analisar as estatísticas sem sair do WordPress

Pronto: aguarde alguns dias para coletar dados e você terá uma perspectiva que nunca teve antes do seu site.

5. Enriquecer a página inicial

A página inicial é uma porta de entrada para muitos dos seus visitantes. Hoje em dia é muito menos importante que no passado, já que apenas os visitantes que digitam o endereço do site diretamente no navegador vão primeiro passar pela “home”, enquanto que a maior parte do tráfego vai vir de buscas e cair direto em posts ou páginas relevantes.

Ainda assim, você precisa preparar uma página inicial que seja simples, diga ao visitante exatamente quem você é e o que faz com clareza e dá a oportunidade dele tomar uma ação relevante – conhecer seus produtos, entrar em contato, etc.

Vamos exemplificar para que fique mais claro. Suponha que você entre o site de uma empresa que você ainda não conhece. Logo no início, vê o seguinte título:

“Empresa X. Conectando o futuro, servindo o presente”

Em plano de fundo, uma imagem de um homem de terno olhando para o horizonte – tirada de algum banco de imagens da Internet.

Ao ver isso, você não faz ideia sobre a área de atuação da empresa, seus produtos ou serviços ou propósito de existir. É tão genérico que não passa informação nenhuma. Isso é, infelizmente, extremamente comum nas páginas iniciais de sites corporativos: não dizem coisa nenhuma e não dão quase nenhuma pista sobre aquilo que a empresa realmente faz e como pode ajudar o visitante.

Compare com isso:

Perceba que você sabe do que o site trata imediatamente. Não é preciso vasculhar a página inicial ou clicar em vários links até descobrir. Pois é, é assim que você quer que sua página inicia seja: direto ao ponto, específica, relevante. Esqueça frases de efeito ou descrições genéricas. Ah, e não se esqueça de propor uma ação ao visitante (no exemplo acima, o botão verde) para que a visita dele seja encaminhada para os objetivos que você quer.

6. Desativar e apagar plugins sem utilidade

Uma das tarefas mais adiadas para quem tem um site WordPress, e ao mesmo tempo crucial para a boa saúde do site.

Vamos lá, você não precisa realmente de 58 plugins no seu site. Faça uma boa revisão, desative aqueles de que não precisa mais, substitua plugins ineficientes por alternativas melhores e apague tudo o que estiver desativado.

Sim, apague os desativados. Isso fará com que as tabelas criadas por eles no banco de dados sejam também apagadas e evita que seus arquivos PHP sejam porta de entrada para vulnerabilidades futuras – sobretudo se o plugin foi abandonado pelo desenvolvedor.

7. Garantir que o WordPress, tema e plugins estejam atualizados

Se eu ganhasse 1 Real por cada plugin desatualizado no mundo WordPress… bem, você pode imaginar que eu não precisaria mais trabalhar pelo resto da vida.

A questão de segurança é algo realmente sério no WordPress, então não fique adiando mais isso. Manter o WordPress, temas e plugins atualizados é a forma mais fácil e rápida de evitar problemas comuns de segurança, desempenho e incompatibilidades. É aquela ação de 5 minutos que pode evitar dores de cabeça enormes.

Aqui na BlogLite, as atualizações são sempre automáticas e seguem uma agenda regular. É uma preocupação a menos para nossos clientes.

Não se esqueça de fazer backup do site todo antes de atualizar para que seja fácil reverter uma atualização que quebra o layout ou causa outros problemas. Como o WordPress é feito de diversas peças independentes, nem sempre o desenvolvedor de um plugin pode garantir que sua atualização não vá causar problemas no tema, por exemplo. Ter a capacidade de reverter tudo facilmente é uma mão na roda.

8. Resolver problemas de desempenho

Por último – e certamente não menos importante -, aproveite o tempo para finalmente resolver a lentidão do seu site WordPress.

Algumas ações simples podem ter resultados drásticos (e positivos), como mudar o tema para algo mais leve, desativar alguns plugins ou optar por uma hospedagem especializada em WordPress que trabalhe na otimização do seu site.

As consequências de um site mais rápido são sempre positivas: mais visitantes, mais vendas, mais contatos, mais resultados. É, basicamente, o “super poder” que amarra todo o propósito de se ter um site antes de mais nada. Sem contar que não é nada opcional hoje em dia, sobretudo para o Google, que penaliza sites lentos e inseguros.

Um pouco de ação, muito resultado

As dicas desse post são todas muito fáceis de implementar e geram resultados praticamente imediatos. Se você tem mais disponibilidade de tempo neste momento, aproveite-o para tirar os itens acima da sua lista de tarefas e saia com um site ainda mais preparado para o futuro, mais eficiente e que gera mais resultados. É a receita certa para ajudar a colocar tudo em ordem no seu negócio e ajudá-lo a crescer ainda neste ano!