Há uma certa inquietação no mundo da Internet, e você deve estar se perguntando se há motivos para se preocupar. Eu entendo! Já faz alguns meses que o Google está se movimentando nas sombras e você já deve ter se deparado com alguns rumores sobre o que realmente pode estar acontecendo.

Dois temas estão deixando proprietários de sites de cabelo em pé: a atualização recente do Chrome, que marca todos os sites sem certificado SSL como “inseguros”, e as penalidades previstas nos resultados de busca para sites lentos.

 

Sites inseguros: já é realidade

Nós já havíamos falado sobre a questão do SSL antes, citando até mesmo o artigo do Google Security Blog que confirmava a questão. O que era apenas previsão já é oficial, e, se o seu Chrome já está atualizado, você já começará a ver sites sem “https” como “não seguros” por todo lado.

Pode até mesmo ser a situação do seu site. A realidade é que os visitantes vão ficar muito desconfiados com esse novo aviso e, se você vende alguma coisa online, instalar e ativar um certificado SSL deve se tornar a sua mais absoluta prioridade neste momento. Se a desconfiança dos consumidores online já era grande, agora eles vão simplesmente fugir horrorizados quando virem esse adesivo de “não seguro” próximo do endereço do seu site:

Mas… se você não vende online não precisa se preocupar, certo? Afinal, certificado de segurança SSL é só para quem recebe pagamentos online. Será, mesmo? Aposto que seu visitante também vai ficar meio desconfiado antes de enviar um formulário de contato no seu site “não seguro”. Ou mesmo de navegar pelos seus posts… afinal, ninguém é obrigado a saber que o seu site não vai transmitir vírus só porque está sem “https” e ganhou esse carimbo de perigoso no navegador…

 

Uma nova ameaça: sites lentos vão ser prejudicados nos resultados de busca?

A questão do impacto da velocidade de carregamento no posicionamento de sites em buscadores sempre foi polêmica. Uma rápida busca mostra que o tópico já era discutido em 2011. Nesse caminho até aqui, houve quem considerasse como certa a influência da velocidade no ranqueamento, e quem dissesse que não existe qualquer correlação entre um e outro.

O próprio Google admitiu, em 2010, que usa o tempo de carregamento como sinal de ranqueamento para buscas em desktop.

Para dispositivos móveis, não havia ainda um algoritmo que levasse velocidade em conta. Até agora. Em um artigo entitulado “Usando velocidade de carregamento para ranqueamento em buscas em dispositivos móveis” (tradução live; artigo em inglês), o buscador bateu o martelo: agora, sites rápidos ficam melhor posicionados em dispositivos móveis.

E por que isso é importante? Simples: o tráfego a partir de dispositivos móveis simplesmente explodiu nos últimos anos, e essa tendência não tem sinais de mudança no horizonte. Dois fatores pesam, neste caso: as pessoas tendem a esperar menos pelo carregamento de sites em celulares, e as redes de dados móveis ainda são muito lentas em média se comparadas a computadores de mesa com conexões de banda larga. Assim, ter um site rápido é crucial para sobreviver no mundo “mobile”.

 

O que as pesquisas mostram sobre a importância da velocidade de carregamento

Um estudo recente encomendado pelo próprio Google trouxe dados muito interessantes sobre o que as pessoas esperam em termos de velocidade quando navegam em aparelhos como celulares e tablets.

Aqui vão alguns dados interessantes sobre as boas-práticas descobertas pelo estudo:

Tempo médio de carregamento

O ideal é que sites em dispositivos móveis carreguem em menos de 3 segundos

Time to First Byte (TTFB)

É uma métrica que mostra quão rápido um servidor responde e começa a enviar dados para o dispositivo. O ideal é que esteja abaixo de 1,3 segundos (um valor que já consideramos enorme!)

Número de requisições

Ou seja, o número de componentes necessários para exibir o site no dispositivo – isso inclui imagens, scripts, etc. O ideal é que um site móvel tenha menos de 50 requisições.

Tamanho da página

O ideal é que uma página otimizada para dispositivos móveis tenha menos de 500Kb de tamanho.

Comportamento do consumidor diante de sites lentos

O estudo também descobriu que a taxa de bounce – ou seja, o ato de abandonar o carregamento do site e voltar para a página anterior, geralmente a página de busca – aumenta dramaticamente conforme o tempo de carregamento fica maior.

Se o tempo de carregamento da página vai de:

1s a 3s, a probabilidade de bounce aumenta em 32%

1s a 5s, a probabilidade de bounce aumenta em 90%

1s a 6s, a probabilidade de bounce aumenta em 106%

1s a 10s, a probabilidade de bounce aumenta em 123%

Isso quer dizer que, se seu site leva perto de 6s para carregar, chances são que o visitante simplesmente não vai esperar por isso. O comportamento geralmente vai ser o de voltar para os resultados de busca e escolher o seu concorrente para visitar.

Horrível, não?

 

Como resolver esses problemas?

Você pode tomar certas ações para corrigir esses problemas ainda hoje. O primeiro deles, sem dúvidas, é instalar e configurar um certificado SSL. Esse tipo de certificado custa entre R$70 e R$400 por ano, a depender de onde é adquirido.

Com relação à velocidade, confira nosso super guia sobre “Como deixar o WordPress mais rápido”. Implemente as mudanças sugeridas e veja o desempenho do seu site melhorar!

Se você hospeda o seu site em WordPress na BlogLite, não precisa se preocupar com nenhuma dessas questões: o certificado SSL vem “de fábrica”, sem custo adicional, e a alta velocidade de carregamento está no nosso DNA. Como hospedagem WordPress gerenciada e de alto desempenho, nós nos preocupamos com esse tipo de otimizações para que você não precise perder o sono toda vez que o Google fizer alterações de algoritmo.

Você merece ainda mais.

Você merece ainda mais.

Receba nossa newsletter e aprenda a deixar seu WordPress mais rápido, a conquistar mais visitantes, vender mais e fazer seu negócio crescer. Apenas conteúdo de alta qualidade.

Pronto, você agora faz parte da nossa comunidade e receberá as newsletters :)