Se você está lendo este post, talvez esteja empreendendo a árdua tarefa de escolher o serviço de hospedagem para seu próximo projeto (ou buscando opções para migração). Ao chegar aqui, você já deve saber que hospedar WordPress não é uma tarefa para qualquer serviço: quanto mais especializado, melhor, e a diferença entre uma opção e outra pode ser surreal.

Antes de continuarmos, é preciso dizer: sim, este é um post sobre como escolher hospedagem para WordPress publicado no blog de uma plataforma de hospedagem WordPress. Por que? Porque não temos nada a esconder: a BlogLite inaugurou o segmento de hospedagem WordPress gerenciada no Brasil e, por isso, nós podemos definir certos parâmetros de comparação com as demais opções do mercado.

Dito isso, vamos tratar de outra questão incômoda e óbvia…

 

Sites de indicação

Uma simples busca no Google já é suficiente para vermos que há dezenas de sites unicamente dedicados a produzir rankings e reviews de empresas de hospedagem.

Essas listas de indicação geralmente colocam no topo grandes nomes nacionais e internacionais – mesmo aqueles cuja reputação está marcada por reviews negativos e reclamações em fóruns abertos. O motivo? Geralmente essas grandes empresas têm programas de afiliados que pagam comissões generosas.

Assim, se você quiser fazer uma comparação profunda, vai precisar encontrar uma dessas listas em que o autor não participe de programas de indicação pagos – e, sinceramente, ainda não vi uma dessas na Internet.

Além disso, ter uma lista realmente completa e confiável seria uma tarefa imensa (e que ainda não foi realizada). A explicação é simples: novos serviços aparecem no mercado todos os meses, e, para ter uma lista realmente completa e confiável, o autor deveria poder testar todos os serviços em condições iguais e de forma detalhada.

Como alguém poderia portanto, com confiança, dizer que tem a lista das ‘melhores hospedagens WordPress’ sem ter testado absolutamente todas as opções? Quando há uma lista das melhores, ela só pode refletir as melhores que o autor experimentou – ou o programa de afiliados que paga melhor…

 

Alguns critérios para você mesmo julgar

O objetivo deste artigo, então, é definir alguns critérios que você mesmo pode usar para comparar as opções e decidir. São critérios sólidos e provados, que não dependem de nenhuma opção em particular. Ao colocar as opções na mesa, compare sempre:

  • Desempenho
  • Recursos oferecidos e nível de serviço
  • Segurança
  • Facilidade de uso
  • Escalabilidade
  • Suporte
  • Preço

O preço não é o último à toa. É tentador começar comparando preços, então é preciso deixá-lo por último. Lembre-se de que muitos serviços baratos são apenas isso – baratos. E se o barato pode custar caro, como diz o ditado, no caso da escolha da hospedagem pode custar seu negócio inteiro.

 

1. Desempenho

Este é o critério mais fácil de notar, mesmo se você não souber fazer testes muito sofisticados. Afinal, qualquer visitante de um site sabe dizer, intuitivamente, se ele é rápido ou não!

Ao escolher sua nova hospedagem, procure navegar um pouco pelo site da prestadora de serviços, e também de alguns de seus clientes. Os sites carregam rapidamente? Isso varia conforme o momento do dia?

Quais os recursos voltados para desempenho divulgados pela hospedagem? Os padrões de tecnologia são modernos? Ou seja, o serviço funciona em computação em nuvem, por exemplo? Os planos são compartilhados ou têm recursos computacionais dedicados?

Mais importante: você tem a oportunidade de testar o serviço antes de contratar, para saber como é o desempenho em condições reais de uso?

 

2. Recursos oferecidos e nível de serviço

Dentre as muitas promessas que todos fazem, você deverá ser capaz de entender quais os recursos que fazem realmente a diferença para o seu projeto.

Neste ponto, precisamos dividir o grande mercado de hospedagem em dois: as hospedagens comuns e as hospedagens especializadas.

Hospedagens comuns podem ser reconhecidas à distância: são marcas grandes, muitas vezes internacionais, e você vê anúncios quase sempre insistentes deles o tempo todo. Oferecem preços baixos e aquele mesmo conjunto de recursos que todo mundo oferece. Além disso, são serviços compartilhados – ou seja, seu site vai compartilhar o mesmo servidor físico com centenas de outros. Em casos assim, se um “vizinho” tem um pico de visitas, o servidor fica sobrecarregado e afeta a todos – inclusive você.

Hospedagens especializadas, por outro lado, oferecem diferenciais em termos de recursos e tecnologias que as separam da massa. Algumas das coisas que se pode esperar de serviços assim: recursos computacionais dedicados, backups confiáveis, certificados de segurança inclusos, migrações gratuitas e, sobretudo, um nível de suporte muito superior.

As chamadas ‘gerenciadas’ oferecem ainda mais recursos específicos para WordPress, como atualizações de temas e plugins e suporte especializado na plataforma. Este tipo de serviço é sempre prestado por equipes menores, focadas e compostas por especialistas.

 

3. Segurança

Aqui entra não apenas a segurança dos servidores, mas também do próprio WordPress. Um serviço de hospedagem ideal é focado na plataforma, portanto tem ferramentas para impedir tentativas maliciosas de login, escanear os arquivos em busca de vírus, etc.

Outro recurso de segurança essencial são os certificados de segurança (SSL). É o que deixa o ‘cadeado verde’ no navegador, sinal de confiança para quem visita. Se antes isso era crucial para lojas virtuais, agora é praticamente obrigatório para todo mundo. Recentemente, o Google já avisou que seu navegador marcará sites sem SSL como ‘não seguros’, como já avisamos em um post.

Ao comparar hospedagens, procure por aquelas que oferecem o certificado sem custo. Já não faz sentido alguém cobrar R$400 por ano por algo assim.

 

4. Facilidade de uso

Responda rapidamente: você prefere se ocupar com o seu site ou com o gerenciamento de servidores? E você prefere que tudo simplesmente funcione, ou que tenha que acessar painéis com dezenas de botões e ficar clicando pra todo lado até conseguir o que precisa?

O WordPress foi feito pensando em simplicidade e facilidade de uso. Não faz sentido você ter que aprender a operar painéis de controle da sua hospedagem para ter um site no ar. Ao escolher uma hospedagem, foque sua atenção nas opções que eliminam toda e qualquer complexidade desnecessária – inclusive os tradicionais painéis de hospedagem, que fazem parte da arqueologia dos anos 2000.

 

5. Escalabilidade

Desempenho e bons recursos são importantes, como já vimos, e você até pode encontrar um serviço rápido e simples de usar. Mas o que vai acontecer quando o número de visitas do seu site crescer? Ou quando houver um pico de visitantes concentrados em uma hora do dia devido a uma campanha especial ou menção na mídia?

A sua hospedagem precisa ser escalável, ou seja, capaz de crescer com as suas necessidades. Plataformas competentes conseguem lidar com picos de tráfego sem que o site fique lento ou fora do ar, e são capazes de oferecer opções de upgrade que fazem sentido e são graduais.

Em serviços voltados para o mercado de massa você vai encontrar sempre esse cenário: seu site começa em um plano compartilhado, baratinho. De repente, com o aumento de visitantes, começa a ficar extremamente lento ou fora do ar o tempo todo. Você contacta o suporte e de imediato eles oferecem um upgrade para um plano 100x mais caro. Sem exagero! Porque geralmente oferecem um servidor dedicado, que custa centenas de reais por mês, para alguém que estava pagando R$4,99 em hospedagem. O salto é imenso, então você é forçado a pagar muito mais ou sair dali.

Serviços especializados, por outros lado, vão ser capazes de absorver sem problemas esses aumentos inesperados e oferecer opções graduais e sensatas de upgrade, pensando no seu melhor interesse primeiro.

 

6. Suporte

Este é um ponto crítico. Serviços genéricos não investem muito em suporte, e isso pode ser percebido imediatamente quando você precisa de ajuda. Geralmente vai ter de passar pelo chamado ‘suporte L1’ primeiro, que é o exército de atendentes sem nenhuma especialização que vão tentar resolver seu problema – após um vai e vem interminável de mensagens, porque você precisa explicar várias vezes o que está acontecendo até que entendam. Se o primeiro nível de suporte não consegue resolver, eles encaminham para os seguintes. Enquanto isso, o problema continua e se passam dias.

Hospedagens especializadas, por outro lado, se orgulham de empregar apenas especialistas em seus times de suporte. Assim, o cenário ideal é aquele em que você é sempre atendido pela pessoa que vai resolver o seu problema, sem camadas diferentes de atendimento.

O suporte é algo difícil de conhecer antes de realmente usar a hospedagem, mas você pode fazer um teste rápido. Entre em contato com a empresa explicando suas necessidades ou comece um chat. Procure observar como o atendimento funciona, qual o nível de interesse no seu projeto, qual o nível de conhecimento de quem atende. Esse tipo de coisa salta aos olhos, e é um indicador seguro de como tudo vai ser depois que você realmente contratar.

 

7. Preço

Como eu mencionei antes, o preço é o último fator de comparação. Por que? Há basicamente dois tipos de serviço, como vimos até aqui: hospedagens comuns e hospedagens gerenciadas.

Entre as hospedagens comuns estão as maiores marcas nacionais e internacionais, geralmente com orçamentos de marketing extraordinários e capacidade de brigar com a concorrência no nível dos centavos – ao mesmo tempo em que espreme centenas de clientes em servidores sobrecarregados.

É evidente que serviços assim apresentam qualidade de serviço inferior e, como é de se esperar, são baratas. Em alguns casos, imodestamente baratas, ao ponto de podermos nos perguntar como fecham o mês após pagarem seus funcionários e os impostos.

Hospedagens gerenciadas e especializadas, por outro lado, não estão no mercado para oferecer o serviço mais barato imaginável. O foco é no cliente e suas necessidades, no nível de serviço, recursos e suporte. Isso, é claro, custa mais para ser viável.

Para resumir, a regra invariavelmente é: você recebe pelo que você paga. Serviços baratos são só isso: baratos. Se qualidade é importante para você (e eu tenho certeza que sim), você vai saber pagar mais por uma hospedagem que não te deixe na mão nos momentos mais críticos e que faça parte da estratégia de crescimento do seu negócio.

 

Sumário: hora de escolher!

Os critérios que procurei definir são indicadores que você deve observar ao fazer sua pesquisa. Quanto mais qualidades forem reunidas em um mesmo serviço, melhor ele tende a ser.

Ainda assim, é difícil saber como tudo vai funcionar depois que você fizer a escolha e contratar efetivamente.

Por isso, o melhor a fazer é buscar por opções que ofereçam uma boa garantia de reembolso em caso de insatisfação e, melhor ainda, que permitam testar o serviço antes da contratação.

 

 

Por transparência: por que achamos que seu projeto vai brilhar mais na BlogLite

Até aqui, falamos de uma metodologia de escolha de hospedagem que permite escolher com maior segurança a próxima casa para o seu projeto. O que deixei bastante claro no começo, também, é que este post foi escrito e publicado no blog de um serviço de hospedagem especializada em WordPress.

Como você pôde julgar por si mesmo, esse fato não fez com que o artigo pendesse forçosamente para o nosso lado. É claro que o contraste entre hospedagens comuns e especializadas ficou muito marcado, mas isso é fruto do nosso modo de pensar. A BlogLite inaugurou o segmento de hospedagem WordPress no Brasil, e nós fazemos isso com muita competência.

Isso quer dizer que nós seguimos nós mesmos os critérios universais que foram discutidos neste artigo (e vamos além, claro). Por isso, ao fazer sua pesquisa, lembre-se de incluir a BlogLite em sua lista.

Se você quiser, pode até mesmo migrar seu site atual para um endereço temporário e comparar como seu site fica, sem custo ou compromisso. Afinal, fazer promessas é mais fácil do que prová-las – e nós decidimos seguir o caminho mais difícil e provar que seu site em WordPress vai ficar melhor por aqui.

Espero que este artigo tenha ajudado em sua busca. Se você concordar, discordar ou tiver algo a acrescentar, use os comentários abaixo! Vai ser muito bom ter sua contribuição e sua experiência nessa discussão :)